Bombeamento sem entupimentos com a nova bomba compacta da Xylem

A nova bomba compacta de águas residuais Flygt 3069 resolveu os graves problemas de entupimento de duas estações de bombeamento na Europa. A nova bomba conta com a tecnologia Adaptive N™, que evita entupimentos e reduz o consumo de energia. Leia sobre os resultados de dois experimentos de longo prazo em estações de bombeamento dos Países Baixos e da Itália.

Itália: estação de bombeamento de Via Visan Malo

A estação municipal de bombeamento de águas residuais de Via Visan Malo está localizada em um pequeno vilarejo da província de Vicenza, no norte da Itália. A estação estava tendo muitos problemas devido a sérios entupimentos causados pelos altos níveis de detritos nas águas residuais do município. Em 2012, os operadores da estação concordaram em instalar e testar um protótipo da nova bomba de águas residuais Flygt 3069 da Xylem para lidar com esses desafios.

Manutenção não planejada e dispendiosa

O maior desafio que a estação de águas residuais enfrenta é a alta concentração de materiais sólidos e abrasivos trazidos pelo sistema municipal de águas residuais. Esses materiais estavam causando entupimentos nas bombas da estação pelo menos três ou quatro vezes por ano, o que as obrigava a passar por ciclos de manutenção frequentes, não planejados e dispendiosos.

ASSINE NOSSO BOLETIM

As operações de manutenção na estação eram tão grandes que as bombas tinham de ser fisicamente removidas para os trabalhos até três vezes por ano, exigindo que os operadores providenciassem bombas de reposição dispendiosas para evitar interromper as operações. A Alto Vicentino Servizi, a empresa que administra a estação, sabia que era necessário encontrar uma solução que fornecesse bombas confiáveis e resolvesse os custos cada vez maiores de manutenção e energia.

Como funciona a tecnologia Adaptative N

Normalmente, as bombas entopem quando objetos sólidos passam por elas e ficam presos em uma das bordas externas da hélice do impulsor. Os materiais deslizam em direção ao perímetro da entrada e entopem o sistema. Com a revolucionária tecnologia Adaptive N, no entanto, os objetos sólidos deslizam ao longo da ponta da hélice do impulsor, por dentro do canal de escapamento.

Um pino-guia localizado no anel de inserção empurra os materiais sólidos para fora do centro do impulsor, ao longo da borda externa e para fora do canal de escapamento. O impulsor pode mover-se axialmente para cima, se necessário, para facilitar a passagem dos materiais e detritos.

Sem entupimentos por mais de 5.000 horas de bombeamento

Durante o período de teste de quatro anos do protótipo, os operadores observaram que a bomba compacta proporcionou um bombeamento contínuo sem entupimentos, apesar da qualidade das águas residuais que são processadas na estação. Desde a instalação, ela está operando sem interrupção por mais de 5.000 horas de bombeamento, com até dez arranques do sistema por dia.

Os operadores da estação também ficaram satisfeitos ao ver que a eficiência operacional foi consideravelmente melhorada na estação de bombeamento em consequência da nova tecnologia. Um acúmulo de detritos ao longo do tempo reduz consideravelmente a eficiência do impulsor de uma bomba, obrigando-o a trabalhar mais e, portanto, a consumir mais energia. Com a bomba Flygt compacta, a tensão sobre o eixo, vedações e mancais é reduzida, garantindo um consumo de energia mais baixo e sustentável.

Maior fluxo e eficiência energética

Desde a instalação na estação de bombeamento de Via Visan Malo, a nova bomba também tem conseguido lidar com um fluxo maior do que sua antecessora (10,5 litros por segundo, em comparação com 7,5 litros por segundo da bomba anterior).

Apesar do aumento do fluxo, o tempo de bombeamento na estação é mais curto e mais eficiente, gerando uma economia de energia geral para a estação de pelo menos 10%.

Países Baixos: estação de bombeamento de Platenmakerstraat

Localizada no vilarejo de Elst, que pertence ao município de Overbetuwe, a estação de bombeamento de Platenmakerstraat recebe águas residuais que contêm uma grande quantidade de materiais, como tecidos e objetos de higiene pessoal. Esses materiais causavam graves e frequentes entupimentos, obrigando os operadores da estação a desentupir a bomba quase todas as semanas.

Uma solução de bombeamento que ocupa pouco espaço

Na tentativa de resolver esse problema, o município concordou em testar a nova bomba compacta de águas residuais Flygt 3069. A bomba foi instalada na estação de Platenmakerstraat em novembro de 2012, iniciando um período de teste de três anos e meio.

Os operadores da estação de Platenmakerstraat queriam uma solução de bombeamento que ocupasse pouco espaço e garantisse a máxima confiabilidade e um menor consumo de energia, além de reduzir a necessidade de manutenção não planejada.

Grande redução nas chamadas de manutenção e no consumo de energia

Os operadores da estação de bombeamento de águas residuais observaram uma melhoria considerável com a nova solução. Os entupimentos foram reduzidos de uma média de 50 vezes por ano a apenas uma ou duas vezes por ano, reduzindo os custos de manutenção anuais em 8.500 euros. Embora o consumo de energia não tenha sido estritamente medido durante o teste, estima-se que foi reduzido em cerca de 40%. A nova bomba substituiu um impulsor de vértice, que consome mais energia.

“Fiquei impressionado com a qualidade de bombeamento oferecida pelo protótipo”, conta Wim Hermsen, mecânico externo do município de Overbetuwe. “A natureza complicada das águas residuais realmente fez a bomba trabalhar muito – às vezes, ela ficava em funcionamento contínuo por 72 horas –, mas ela proporcionou um bombeamento contínuo e livre de entupimentos durante todo o teste. Ao longo de todo o período de teste, tivemos de desentupir a bomba apenas quatro ou cinco vezes, e isso porque havia tecidos grandes e latas de refrigerante no fluxo de águas residuais.”

Leia mais sobre a linha de bombas compactas Flygt

ASSINE NOSSO BOLETIM

 

Série de artigos

O futuro da tecnologia da água: inteligente e sustentável

Começar a ler

Assine nosso boletim